Seja bem-vindo ao Simple Plan Brasil! Nós somos um site brasileiro sobre o Simple Plan com objetivo de difundir notícias, vídeos e conteúdos da banda. Este site é feito de fãs para fãs, ainda sem vínculos com integrantes da banda, mas temos apoio da Warner Music Brasil [+]

01.jpg
25024628_340814736326737_5352961553689739264_n.jpg
16.JPG
14.jpg
15.JPG
26066391_1990472571221959_8557024409389367296_n.jpg

Últimas Imagens

“Foi o disco que mudou as nossas vidas” fala Chuck sobre o No Pads

No final do mês passado, Chuck Comeau e Jeff Stinco estiveram na cidade de Quebec para promover a #TeamSPTour no Canadá, e aproveitaram para ceder também uma entrevista ao Le Journal de Quebec. Nela, a dupla não só falou sobre estes shows, como também sobre os 15 anos do primeiro álbum No Pads, No Helmets… Just Balls e de como este mudou suas vidas, iniciando suas carreiras.

Além disso, Stinco e Comeau fizeram um novo photoshoot com o fotógrafo Didier Debusschère, que você pode ver em nossa galeria, e contaram quais são as 10 maiores conquistas na carreira do Simple Plan. Confira abaixo a entrevista traduzida pelo SPB:

O Simple Plan não se tornou uma banda adorada em todo o mundo por acidente. O trabalho duro, audácia e persistência do grupo fizeram com que a banda de Quebec se tornasse um sucesso fenomenal. “Nós éramos ambiciosos e teimosos,” diz o guitarrista Jeff Stinco, em uma entrevista realizada antes o único show do Simple Plan no Centre Vidéotron de Quebec e no Centre Bell de Montreal.

Stinco e o baterista Chuck Comeau desembarcaram na cidade de Quebec em uma manhã no meio de fevereiro. Eles se encontravam no Centre Vidéotron em uma cabine olhando a pista de gelo para um longo dia de entrevistas para divulgar o show do dia 13 de Março.

Esse primeiro contato com a arena já deveria ter acontecido. Mas problemas nas cordas vocais do vocalista Pierre Bouvier fizeram com que eles tivessem que adiar o show originalmente marcado para o dia 21 de novembro.

O show que Quebec e Montreal verão ainda será o da turnê do Taking One For The Team, mesmo que uma turnê de 15 anos, no qual a banda tocará o disco lançado em 2002, No Pads, No Helmets… Just Balls, na íntegra começará em breve.

“Nós queríamos nos certificar que nosso último disco seria apresentado pelo menos uma vez em cada cidade. Mas os fãs já estão pedindo pela turnê dos 15 anos, então planejamos voltar,” promete Chuck Comeau.

Para Comeau, Stinco, Bouvier, David Desrosiers e Sebastien Lefebvre, comemorar o aniversário do “No Pads” era imprescindível. “Foi o disco que mudou as nossas vidas, que deu um gás em nossa carreira,” disse Chuck Comeau.

“Naquele tempo nós queríamos fazer vários shows. Nós queríamos abrir para o Green Day, Blink-182, The Offspring. E nós queríamos tocar nas rádios. A primeira vez que ouvimos I’d Do Anything na The Buzz, uma estação norte-americana, nós ficamos loucos,” relembra Jeff Stinco.

Se o “No Pads”, que traz hits como I’d Do Anything, I’m Just A Kid, Addicted e Perfect, se tornou um sucesso, os cinco membros do Simple Plan devem isso ao trabalho duro e ao objetivo de alcançarem seus sonhos.

“Nós éramos bem ingênuos e nunca consideramos a possibilidade de não dar certo. Nós tínhamos certeza que se déssemos duro, tivéssemos músicas boas, um bom show, era garantia de que funcionaria,” disse Chuck Comeau.

Assim como comentou Jeff Stinco, esse otimismo também foi acompanhado de uma certa teimosia.

“Nós nos colocamos em uma situação bem peculiar. Nós decidimos que tocaríamos em todos os lugares, pois queríamos viajar. Nós chegamos na Alemanha e não tinha ninguém no show. Literalmente ninguém. Mas nós persistimos e voltamos para lá, mesmo tendo que aceitar o ato falho. Hoje, a Alemanha é um mercado grande para nós, mas levaram alguns anos para que ele se abrisse.”

“Nós ainda passamos por muitas dificuldades em nossa carreira,” acrescentou o guitarrista.

Com isso, é bem surpreendente que o grupo nunca passou por mudanças em sua formação, e Jeff Stinco reconhece que o Simple Plan já passou por momentos conturbados.

“Assim como todo relacionamento, existem altos e baixos. Conosco não foi diferente. É uma dinâmica difícil quando você fala de cinco pessoas com personalidades muito fortes. Acho que nossa maior força foi a comunicação. Durante os anos nós nos conhecemos de verdade, sendo transparentes e honestos. Nós ainda somos os mesmos caras que gostam de fazer música juntos. E nossos fãs continuam nos lembrando que criamos algo maior do que o mundo dos cinco membros.”

Chuck Comeau ainda acredita que não há chances de isso acabar. “Ainda existem países que nós não tocamos, coisas que não fizemos. É isso que continua nos motivando. Enquanto as pessoas amarem e nós continuarmos nos divertindo, eu não vejo razão para pararmos. É um trabalho incrível e é uma vida que escolhemos e gostamos.”

As 10 maiores conquistas na carreira do Simple Plan

A turnê de 2002 no Japão

Depois do lançamento do “No Pads”, o grupo viajou para o Japão. Sem imaginar que eles estariam sendo aguardados por diversos fãs. “Eu lembro da primeira vez que chegamos em Tóquio e os fãs estavam nos esperando no aeroporto. Na nossa cabeça, nós estávamos recém saindo de Quebec, não havia nada acontecendo e então nós fomos recebidos como se fossemos os Backstreet Boys. Era um lugar com umas 2.500 pessoas,” disse Jeff Stinco. “Essa foi a primeira vez que pudemos mensurar nosso potencial no mundo,” adicionou Comeau. Essa turnê foi imortalizada no disco Live in Japan 2002.

Assinando o contrato com a Atlantic Records

“O começo da aventura,” disse Chuck Comeau pensando em 2001 quando os 05 garotos de Quebec, desconhecidos pelo público, conseguiram atrair a atenção dos chefões de uma gravadora. “Quando começamos a conversar sobre ter uma banda, nós queríamos assinar com uma gravadora dos EUA desde o começo e gravar um disco que seria lançado no mundo inteiro. Um contrato é como iniciar uma maratona. É como o primeiro passo em uma corrida. A Atlentic foi a chance de lançar nossa maratona.”

A descoberta nos EUA

Depois da Ásia, os Estados Unidos recebeu de braços a abertos essa banda de jovens músicos vindo do Norte. Foi com o single I’d Do Anything que essa descoberta foi orquestrada. “Nós tocamos em casas lendárias como o o Giants Stadium, o Madison Square Garden, o Staples Center de Los Angeles. Fomos no Jau Leno, Conan O’Brien, e a MTV nos colocou debaixo de suas asas,” disse Chuck Comeau, se lembrando dos primeiros sucessos nos Estados Unidos. “O disco ganhou o certificado de Platina Dupla. Foi o que nos propagou pelo resto do mundo,” adicionou.

Austrália: A segunda vez foi a certa

A primeira turnê na Austrália não surtiu os resultados esperados. “Não aconteceu nada. Todas as músicas foram mal nas rádios,” disse Chuck Comeau. Mas depois do sucesso nos Estados Unidos, a Austrália finalmente entrou no jogo. “Perfect se tornou um grande hit lá. Nós voltamos lá e todas as músicas que não tinham dado certo foram relançadas. Em 2005 nós tocamos em arenas para platéias de 10.000 – 15.000 pessoas do outro lado do mundo.”

Trabalhar com Bob Rock

O currículo do produtor Bob Rock é mesclado. Entre os seus clientes estão Metallica, The Offspring, The Cult, Mötley Crüe e muitos outros. Com o objetivo de evitar problemas no segundo disco, os caras do Simple Plan fizeram o possível para conseguir seus serviços no disco Still Not Getting Any… de 2004. Chuck Comeau diz: “Nós pensamos que já que não tínhamos certeza de quanto tempo o Simple Plan iria durar e tivemos a chance de trabalhar com um dos melhores, aceitamos essa oportunidade e, hoje, o Still Not Getting Any… continua sendo um dos nossos discos mais importantes.”

Na África do Sul com…. Metallica

América, Ásia, Europa, Oceania e, por quê não, África? Em 2006, o Simple Plan e outras bandas se juntaram para uma turnê na África do Sul para abrir para o Metallica. Foi assim que um outro mercado se abriu para o grupo de Quebec. “Foi bem especial tocar em festivais na frente de 50.000 pessoas. Foi ainda melhor pois crescemos ouvindo Metallica. Não poderia ser mais exótico. Essa turnê simbolizou o fato de termos nos tornado um grupo mundialmente respeitado,” analisou Chuck Comeau.

Teen Choice Awards e outras premiações

As premiações, principalmente as com votação aberta para o público, contribuíram para a reputação do Simple Plan. Sua vitória no Teen Choice Awards de 2005 na categoria de banda de rock foi um dos melhores momentos. Uma benção, dizem os caras. “Nós ganhamos todos os anos no MuchMusic Video Awards (seis vezes em sete anos). Se tornou uma rotina,” relembra Jeff Stinco. “Foi graças aos nossos fãs. Foi incrível tudo o que eles fizeram por nós,” acrescentou.

A primeira vez no Plains of Abraham

Em 2005 uma brisa de loucura atingiu o Plains of Abraham durante o Festival d’été de Quebec. Um momento definidor para o grupo, relembram Stinco e Comeau. “Foi naquele momento que nós percebemos como havíamos feito algo de especial para nós em Quebec. Perceber essa reação, esse mar de pessoas, fez com que viajássemos. É um show que iremos nos lembrar pelo resto de nossas vidas e nos deixará orgulhosos,” confidencia o baterista.

Summer Paradise no YouTube

O Simple Plan nasceu antes da explosão da música online e as redes sociais. Com o sucesso de Summer Paradise, lançado em 2011, os caras descobriram o poder da internet. “É a nossa música de maior sucesso internacional. Temos cerca de 88 milhões de visualizações no YouTube. A colaboração com o Sean Paul foi muito importante. Foi a música perfeita para o formato do YouTube,” disse Jeff Stinco.

No palco com a Orquestra Sinfônica de Montreal

Dividir o palco com a Orquestra Sinfônica de Montreal é uma oportunidade única em uma carreira. “Foi muito legal. Nós fizemos uma vez e foi para a nossa fundação e foi muito bom,” relembra Chuck Comeau, sobre o evento que arrecadou fundos. “Coisas incríveis aconteceram com a fundação,” diz Stinco. “Nós vimos fãs ajudando outros fãs. Depois do tsunami, fizemos agasalhos e a renda foi destinada para o Japão.”

Este artigo não possui comentários

© 2005 - 2017 - Alguns direitos reservados | Desenvolvido por Kézily Correa